Posts

Geração Z: o novo desafio das organizações

Concebida para suceder a Geração Y, a Geração Z ganhou esta designação para referir-se àqueles que “zapeiam” entre os vários canais de TV, internet, vídeo games e smartphones.

Talvez por ser a primeira geração a viver uma revolução econômica desde a Grande Depressão, estes “nativos digitais” passaram a ser dominados por um sentimento de insatisfação e insegurança quanto ao presente e futuro, tendo como pano de fundo a diferença de renda, encolhimento da classe média, estresses familiares, o desemprego e a precariedade.

A revista Business Insider descreve-a como a mais conservadora, mais orientada para o capital, mais empreendedora e pragmática sobre o dinheiro. Sendo workaholics, não têm hora nem local para trabalhar, visam sua necessidade financeira e enriquecimento pessoal, proporcionando um grande impacto na cultura e nas empresas, desconstruindo a forma que consumimos o mundo.

Com alto grau de iniciativa e resistência à pressão, são responsáveis e seu pensamento opera pela lógica, mas são pouco preocupados com o status quo e com o cumprimento de regras e ordens. Vista como a geração mais tolerante e empática, estes jovens transitam por múltiplas comunidades e são amplamente conectados à diversidade. Realistas e práticos ao extremo, constroem laços e não rompem. Dialogam, entendem e agregam, sendo ativistas, compassivos e ponderados.

Por estar 100% conectada à internet, esta geração sente-se cidadã do mundo, tem forte responsabilidade social e ambiental e necessidade de interação e exposição de suas opiniões no ambiente online. Autênticos e espontâneos, expõem suas fragilidades e valorizam a transparência.

Acostumados em ter respostas e informações rápida e instantaneamente, acabam se mostrando como extremamente ansiosos, flexíveis, instáveis, impulsivos, autogestores e autodidatas.

Sendo multifuncionais, acreditam que o ideal para o crescimento profissional é a busca por novas experiências, fazendo com que não fiquem muito tempo na mesma empresa nem na mesma função. Suas áreas de interesse profissional estão relacionadas à Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática, principalmente.

EXEMPLO:

 

 

Pode-se observar que a escrita acima é firme, rápida e simplificada, sugerindo pessoa acelerada e com respostas rápidas aos estímulos. A preferência por chats e mensagens instantâneas fica clara no uso da grafia simplificada, sem floreios nem artifícios, indo direto ao ponto da questão.

A combinação de letras angulosas e texto ascendente indica iniciativa, assertividade e determinação diante de projetos e metas pessoais. Ou seja, intensa energia que resulta em disponibilidade para a ampliação de fronteiras de competências e superação de obstáculos.

A sinuosidade das linhas transmite flexibilidade e jogo de cintura para atuar em ambientes em constante mudança. Como esta geração é imediatista, denota visão de curto prazo, o que pode ser observado pelo texto concentrado, ou seja, com pouco espaçamento entre palavras e linhas.

Este jovem aprende com facilidade e domina algumas expertises profissionais que geram processos e produtos inovadores. Para identificar criatividade e ousadia, levamos em conta o quão original é a forma como as letras se ligam umas às outras e o quão se afastam do padrão caligráfico adquirido no processo de alfabetização.

A identificação destes jovens por riscos e desafios pode ser notada pela inclinação de suas hastes à direita. Quando inclinamos nossa escrita à direita significa que nos “inclinamos” na direção daquilo que nos desperta interesse, ou seja, vamos de encontro aos nossos objetivos.

A valorização do trabalho em equipe também pode ser observada no espaçamento do texto. Quando existe pouco espaço entre linhas e palavras, podemos dizer que a pessoa privilegia a convivência e a proximidade nas relações, sendo capaz de formar conexões emocionais saudáveis. As letras em forma de U também sinalizam o espírito de equipe e cooperação.

Com foco em projetos, esta turma busca resultados palpáveis, superação de obstáculos e oportunidades concretas de vitórias, em geral no curto prazo. Estas características podem ser visualizadas pela escrita estendida, angulosa, ascendente e inclinada.

As margens se referem ao destino que damos aos nossos recursos de tempo, espaço, material, etc. Neste caso, a ausência de margens no texto sinaliza indivíduo produtivo e dinâmico, que sabe aproveitar bem os recursos de que dispõe e consegue fazer várias coisas ao mesmo tempo

A falta de ligação entre letras indica intuição, abstração e tendência a focar-se em possibilidades. Sugere ainda facilidade para desenvolver sistemas teóricos e análise de processos que partem da causa para o efeito.

Por fim, a combinação de aspectos como ângulos, inclinação, firmeza e concentração do texto sugere um profissional com foco em projetos. Concentrar-se no resultado de seu trabalho, estabelecer objetivos desafiadores e reunir esforços para atingi-los ou superá-los são medidas fundamentais para o profissional que busca o caminho mais eficiente e, se bem gerenciado, pode vir a ser o que se pode chamar de profissional de “alta performance”.

 

Grafologia e competências – Identificando talentos através da escrita

A avaliação de potencial é considerada um dos mais delicados processos na gestão de pessoas. Um dos obstáculos tem sido a utilização de ferramentas muito complexas, de difícil aplicação e de uso quase exclusivo de especialistas. Com enfoque excessivamente psicológico, os gestores praticamente não tinham acesso direto aos resultados.

A expansão da grafologia como ferramenta de aferição de potencial facilitou em muito o trabalho dos avaliadores. De fácil aplicação, o método permite identificar características de personalidade e caráter, possibilitando um completo mapeamento do perfil a ser analisado.

A grafologia é uma técnica de observação e interpretação, que possibilita o estudo do sujeito pela análise de sua grafia. O ato de escrever é um mecanismo inconsciente e pode ser estudado sob 3 perspectivas: projetiva, pois projeta a personalidade a partir de certas convenções, como margens, acentos e parágrafos; expressiva, porque é um gesto de expressão da psicomotricidade, e representativa, porque as formas da escrita representam uma escolha, mostram de maneira inconsciente a impressão que o escritor deseja passar a quem o lê.

Freud, em sua teoria da psicanálise, ressaltou a influência do inconsciente na vida cotidiana de cada indivíduo. E Carl Jung, seu discípulo, também relacionou a psique à conduta do sujeito e ao seu modo de ver e entender o mundo que o rodeia.

O ato de escrever é inconsciente e responde aos impulsos cerebrais – quem escreve é o cérebro e a escrita é influenciada por todos os tipos de impulsos nervosos. Cada pessoa tem seu estilo de comportamento e, diante de uma mesma tarefa, cada um irá organizar a situação a seu modo.

A forma particular que um indivíduo dá a uma determinada letra do alfabeto normalmente tem origem em diversos fatores físicos e emocionais. Quando escrevemos, produzimos sinais gráficos como símbolos que correspondem ao nosso verdadeiro caráter e modo de pensar.

Por isso, torna-se impossível disfarçar a própria letra ou copiar a letra de outra pessoa. Neste sentido, pode-se dizer que não existem duas escritas iguais porque não existem duas pessoas iguais.

O exame grafológico busca identificar os traços que diferenciam uma pessoa da outra. Mapear o perfil de uma pessoa significa saber como ela é e ter um razoável prognóstico de suas formas de agir, pensar e sentir, visando aliar ao local de trabalho o alcance de resultados para que cada um possa colocar em prática seus talentos e qualidades de forma mais eficaz.

Portanto, como a escrita está profundamente ligada aos fatores que determinam nosso comportamento, sua análise nos permitirá identificar os tipos de relacionamentos e sua flexibilidade, potencial intelectual e habilidades criadoras, níveis de liderança, capacidade de argumentação e negociação, comunicação, abertura a mudanças e facilidade para aquisição de novas competências, organização e visão de curto, médio e longo prazos, e aptidões diversas.

Grafologia e competências
Identificando talentos através da escrita
Luciana Boschi
Ed.Semente Editorial (2010)
R$ 35,00