Posts

Grafologia Forense e Enfermagem Forense: O olhar diferenciado e as contribuições da escrita como meio de prevenção e detecção de crimes e feminicídio

🎀ABEFORENSE CONVIDA🎀
Nesta Segunda Feira, dia 05/10, abrindo o mês de Outubro às 20 horas, teremos uma live super bacana com o tema: Grafologia Forense e Enfermagem Forense: O olhar diferenciado e as contribuições da escrita como meio de prevenção e detecção de crimes e feminicídio Teremos a presença do Dra. Luciana Boschi, psicóloga com especialização em grafologia. Pericia grafotécnica e neurociência. Colunista do site O Segredo. Autora da coluna mercado de trabalho do jornal Folha RJ CEO da Dom Graphein. Autora do livro Grafologia Forense. Estarão ainda presentes, a Dra. Zenaide Cavalcanti, Enfermeira Forense, presidente da Associação Brasileira de Enfermagem Forense e Dr. Antonio Carlos, Enfermeiro Psiquiátrico e Forense, presidente da região Centro-Oeste da Associação Brasileira de Enfermagem Forense.
Não percam, Aguardamos você por que a Abeforense te Convida!!!
🗓Lembrando:
Data: 05/10/2020
Horário:
*20h (Horário Brasília)
*19h (Horário MS)
*🇲🇽🇵🇪🇨🇴 18horas
*🇺🇸 -1 a -4 horas
Transmissão:

Assista aqui o vídeo completo:
📲Facebook: https://www.facebook.com/abeforense/videos/375433910148064

🖥️YouTube: https://www.youtube.com/channel/UCDlSK3pbz9U_Htz5ksnbhXA

Canal dos ENFERMEIROS FORENSES
🇧🇷🇲🇽🇵🇪🇨🇴🇦🇷🇺🇸 🇸🇳🇻🇳🇺🇾

 

Minicursos de Grafologia

🕵️‍♀️MINICURSOS DE GRAFOLOGIA

⚠️Toda segunda-feira, a Dom Graphein oferece minicursos de grafologia, ilustrados com uma redação e seguidos de vários comentários sobre a personalidade de quem escreve.

Os eventos acontecem sempre às 20h pelo canal do Instagram @luciana_boschi e em cada semana é usada uma redação diferente. Contabilizando mais de 5 mil visualizações, qualquer pessoa pode participar, mesmo sem conhecimento prévio do assunto.

📌O evento é gratuito e ainda oferece certificado para quem assiste até o final.  Informações e inscrições: cursos@domgraphein.com

Minicurso online de Grafologia: Feminicídio na escrita

 

QUARENTENA COM O INIMIGO
Aumento de 50% no número de denúncias de violência doméstica e familiar em tempos de Covid-19
 confinamento vem revelando diversos comportamentos sociais. Dentre eles, um em especial foi previsto por estudiosos: o aumento dos índices de violência doméstica e de feminicídio.
Sendo um crime praticado predominantemente em casa pelo companheiro, namorado, filho e pai, podemos considerar, portanto, que estamos diante de um crime afetivo e familiar.
O start do ciclo de violência se dá exatamente com as tensões. Nesta primeira fase, identifica-se impaciência, desrespeito, irritabilidade e acessos de raiva por parte do agressor diante de situações banais e insignificantes,  gritando e humilhando a vítima.
A fase seguinte evolui para agressões física, psicológica, sexual, moral e/ou patrimonial. Observa-se aqui dois possíveis comportamentos da vítima: a inércia, pois até então não se percebia como tal e se mantém no contexto de violência; ou pela tomada de decisão em pedir ajuda e denunciar.
Quando não há a ruptura do ciclo de violência na segunda fase, avança-se para a terceira que consiste no arrependimento temporário por parte daquele que violenta.
Nesta “lua de mel”, o homem retoma o comportamento carinhoso, cuidadoso, disposto a mudar e a fazer valer uma reconciliação. Esgotado o momento de arrependimento, o ciclo recomeça de forma gradual e aumenta a frequência entre as agressões.

Agressividade e o transtorno explosivo observados na escrita

O transtorno explosivo refere-se basicamente à dificuldade enfrentada por algumas pessoas para gerenciar o sentimento de raiva e a manifestação impulsiva de comportamentos agressivos daí derivados.

Antes de ser uma pessoa com possível transtorno de agressividade, o indivíduo tem um histórico de sofrimento e frustrações que se refletem no âmbito familiar, social e profissional.

Donald W. Winnicot, pediatra inglês que cuidou de crianças e adolescentes durante os bombardeios a Londres na década de 40, quando muitas delas foram afastadas de seus pais, propunha que a agressividade acaba levando o sujeito a um comportamento anti-social e delinquente.

Para ele, o transtorno agressivo significa um movimento em direção ao mundo externo na busca de objetos, como forma de reaver o que lhe foi tirado. Neste sentido, o sujeito se coloca em posição pronta para a defesa e para o ataque.

EXEMPLO:

Esta escrita apresenta traços pontiagudos com terminações para cima e para a direita. Isso pode sugerir dificuldades em aceitar pontos de vista diferentes dos seus. Defensivo e resistente, pode se mostrar polêmico e vingativo.

Atitude de oposição ou imposição de regras e princípios. Pouca espontaneidade, rigidez e intransigência no trato com os demais.

Sendo bastante anguloso, este grafismo indica impulsividade, tensão, aflição e combatividade. Impaciente e reativo, não consegue tolerar decepções ou frustrações, e, como consequência, pode sentir dificuldades em construir conexões emocionais saudáveis.

A pessoa está sempre pronta para a defesa e para o ataque. A impulsividade, ansiedade e falta de controle podem leva-lo a lutas corporais.

O espaçamento entre palavras e linhas é irregular. Com dificuldades para administrar emoções, pode denotar comportamento emocional intenso, com traços de irritabilidade e surtos de raiva.

Este ambiente gráfico sugere confusão, instabilidade, variações de humor e angústia. Com forte carência de afeto e medo do abandono, não suporta a ideia de ser rejeitado.

🔺Veja no QUIZ o que sua escrita revela: https://domgraphein.com/quiz-qual-profissao-se-encaixa-melhor-no-seu-perfil/